postura

levei quarenta
e sete anos
para erguer esta
coluna que agora
vês enrijecida

quarenta e sete
anos a nado no
breu dos ossos

uma idade inteira
de luta contra
a gravidade curva
deste sustentáculo
às minhas costas

e se não lhe dou
essa vida
toda em trabalho
edificado
e riscos poupados
nunca se
manteria rijo
em linha reta
este relâmpago
cervical
que agora
eleva-se altivo
diante de ti

a prenunciar o estrondo
de sua queda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s