cadelas calasares sungas negras

os calasares atacavam as cadelas e muitas delas morriam lá por causa deles. aquele era um lugar onde habitavam essencialmente cadelas e alguns cachorros. calasares eram mosquitos prateados nas costas e de pernas grandes demais para seus corpos, mas que ninguém ali nunca via. deu-se que surgiram naquele mesmo tempo naquele lugar também uns homens que usavam como vestimenta exclusivamente sungas negras. esses homens não eram de lá. então gradualmente, como por exemplo pode ter sido o dilúvio quando caiu – não uma chuva intensa e devastadora de uma vez, mas uma sequência de chuvas pequenas, agradáveis a terra, que depois cessaram todo dia cada vez menos até tornarem-se imensas e inundarem a terra e tudo num mar em que homens não seriam capazes de nadar pois teriam que nadar pela vida inteira e isso não podem fazer – então, gradualmente assim como num dilúvio as cadelas passaram a atacar os homens que trajavam sempre, curiosamente, sungas negras. atacaram-nos até que não restasse um deles lá. isso em consequência das mortes aquelas mortes de tantas das suas companheiras e companheiros.

 ♦

os sungas negras haviam chegado primeiro em número pequeno lá e, amigáveis que eram, tornaram-se em pouco tempo amigos mesmo próximos daquelas cadelas de lá. alguns até se radicaram, fazendo crescer sua população amigável. e que estranho foi que conforme mais homens chegavam naquele lugar onde as cadelas moravam menos delas sobreviviam aos ataques invisíveis dos calasares. a propósito, antes da chegada dos homens com suas sungas pretas nunca se tinha sequer ouvido falar desses predadores: os imperceptíveis calasares. mas as cadelas sabiam que os calasares eram monstros que nunca existiram e que, mesmo se existissem, não morreriam de mosquitos assim cadelas como aquelas que elas eram.