postura

levei quarenta
e sete anos
para erguer esta
coluna que agora
vês enrijecida

quarenta e sete
anos a nado no
breu dos ossos

uma idade inteira
de luta contra
a gravidade curva
deste sustentáculo
às minhas costas

e se não lhe dou
essa vida
toda em trabalho
edificado
e riscos poupados
nunca se
manteria rijo
em linha reta
este relâmpago
cervical
que agora
eleva-se altivo
diante de ti

a prenunciar o estrondo
de sua queda